Transição Renda Brasil

Como Será a Transição do Auxílio Emergencial para Renda Brasil?

Desde abril, quando foi lançado o Auxílio Emergencial, cerca de 14,2 milhões de beneficiários do Bolsa Família tiveram um up, saltando para recebimentos mensais de R$ 600,00. O pagamento mensal do Bolsa Família é de R$ 191, valor que aumenta todos os anos, mas que representa somente 31,83% do valor que está sendo pago nos últimos meses.

O Bolsa Família foi criado em 2003, no primeiro ano do Governo Lula, o que ajudou muito na popularidade do petista. Aliás, essa foi uma de suas bandeiras ao longo dos dois mandatos. Agora, o atual presidente da República, Jair Bolsonaro, deseja ampliar os pagamentos e rebatizar o modelo, para o chamado Renda Brasil.

Mais pobres vão aceitar a transição do Auxílio Emergencial para o Renda Brasil?

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Bolsonaro, afirmam que o Governo Federal não tem condições de continuar pagando R$ 600 por mês há mais de 60 milhões de pessoas. Por isso, uma das ideias é manter o pagamento até dezembro, reduzindo para R$ 200 ou R$ 300.

Esse procedimento funcionaria como uma transição para a criação do Renda Brasil. Acontece que para a redução dos valores é necessário uma aprovação na Câmara dos Deputados e também no Congresso. Se Bolsonaro decidir manter os R$ 600,00, então basta um decreto.

O problema é o seguinte: se você recebesse R$ 191,00 e passasse a ganhar R$ 600,00, de um dia para o outro, aceitaria voltar a ganhar menos? Dificilmente as pessoas nesta situação vão aceitar tranquilamente. Por isso, a criação do Renda Brasil pode ser adiada ou precisará ser planejada novamente.

Outra ideia é que um programa que visa constituir uma renda básica seja aprovado e vire lei. Neste caso os pagamentos mensais seriam semelhantes ao Auxílio Emergencial.

Deixe um comentário