Programa Renda Brasil Renda Única

Calendário Renda Brasil – Datas, como vai funcionar, tabela, valor e mais!

O ministro da Economia, Paulo Guedes, formalizou no começo de junho a ideia que consiste na criação de um programa chamado Renda Brasil. A ideia da equipe econômica do Governo Bolsonaro é a criação de um sistema que beneficie aqueles que receberam o Auxílio Emergencial de R$ 600 e que não são contemplados pelo Bolsa Família. Afinal, qual o calendário Renda Brasil?

Por enquanto o programa social continua em elaboração e deverá substituir o Bolsa Família, criado durante o Governo Lula, em seu primeiro mandato. Mas, já está definido que os futuros beneficiários do Renda Brasil deverão ser estimulados a procurar empregos formais. É aquela história de ensinar a pescar e não dar o peixe.

A ideia começou com o lançamento do Auxílio Emergencial, destinado a pessoas que tiveram suas atividades laborais afetadas pela pandemia de COVID-19. Esse é um benefício financeiro concedido pelo Governo Federal, destinado aos trabalhadores informais, autônomos e desempregados, além de microempreendedores individuais (MEI).

Com o lançamento do Auxílio Emergencial, o Governo Federal percebeu que milhões de pessoas estavam em uma faixa de renda complicada. Aliás, eram famílias que não estavam no radar, diferente daquelas beneficiadas pelo Bolsa Família, que também passaram a receber as parcelas mensais de R$ 600,00.

A grande dúvida que fica quanto a esse novo modelo é em relação ao seu lançamento. O calendário Renda Brasil poderá ser lançado ainda em 2020 ou talvez fique para os primeiros meses de 2021. De fato, o Governo Bolsonaro está buscando soluções para beneficiar este grupo de pessoas que antes não se tinha ideia da situação enfrentada.

renda brasil bolsonaro paulo guedes bolsa familia
Bolsonaro e Paulo Guedes são entusiastas do Renda Brasil / Imagem não oficial e meramente ilustrativa.

Calendário Renda Brasil 2020

O Governo Federal vem demonstrando que não pretende continuar com os pagamentos do Auxílio Emergencial. O benefício é entregue a cerca de 65 milhões de pessoas em todo o Brasil, pago desde abril de 2020, quando a Lei 13.982/2020 foi aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro.

A expectativa é de que o calendário Renda Brasil 2020 comece a valer já em outubro, mas até o momento não é possível afirmar isso. Assim, o novo benefício deve aproveitar todos os dados deixados pelos cadastrados no Auxílio Emergencial. De fato, o novo programa só passará a vigorar quando o Auxílio Emergencial chegar ao fim.

Além disso, um programa como este precisa de aprovação no Congresso Nacional, com votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Não adianta apenas o presidente Jair Bolsonaro baixar um decreto. Mas, com o apoio da população, isso não deve ser problema.

Calendário Renda Brasil 2021

Enquanto o calendário Renda Brasil 2021 não é divulgado, assim como o cadastro Renda Brasil, os pagamentos do Bolsa Família seguem acontecendo normalmente. Mas, quando o novo programa de transferência de renda finalmente for criado, então os pagamentos devem seguir uma ordem anual.

Em 2020 não deve acontecer, mas para 2021 existe uma expectativa grande em relação ao pagamento do 13º. Ou seja, em dezembro todos os beneficiários devem receber um pagamento a mais, assim como aconteceu com o Bolsa Família em 2019. Aliás, naquela época o presidente declarou que era algo para ajudar na realização da ceia de Natal e para aproveitar a época.

O calendário Renda Brasil 2021 deverá ter pagamentos realizados em dias diferentes, conforme o último número do cartão cidadão ou NIS. Na maioria dos meses os pagamentos são realizados após o dia 15, menos em dezembro quando são antecipados para a primeira quinzena.

Tabela do Renda Brasil

A expectativa é de que a tabela do Renda Brasil siga o mesmo sistema adotado nos pagamentos mensais do Auxílio Emergencial, ou seja, o valor disponibilizado por meio de contas digitais da Caixa Econômica Federal. Além disso, o cartão cidadão poderá ser utilizado para a realização dos pagamentos.

Como você deve saber, o cartão cidadão facilita o acesso das pessoas aos benefícios sociais e trabalhistas e pode ser utilizado em todo o Brasil. Ele é usado para o saque do abono salarial e do seguro desemprego, entre outros. Além disso, serve para os pagamentos do Bolsa Família.

O cartão cidadão possui um número, que ajuda a determinar as datas de pagamentos. Dessa forma, a expectativa é de que o Governo Federal utilize o mesmo sistema para realizar os pagamentos do Renda Brasil. Ou seja, nem todos os beneficiários receberão no mesmo dia.

Essa é uma medida interessante, para evitar que muitas pessoas vão até as agências da Caixa ou lotéricas nos mesmos dias. Além disso, evita que um número muito elevado de transações aconteça no mesmo dia.

Como vai funcionar o Renda Brasil

Até o momento não existem detalhes precisos em relação as pessoas que teriam direito a este benefício, mas já foi informado que virá para substituir o atual Bolsa Família. Por falar em Bolsa Família, ele é pago para famílias consideradas em situação de pobreza e de extrema pobreza, beneficiando mais de 13,9 milhões de famílias em todo o país, conforme a Caixa Econômica Federal.

O novo programa, Renda Brasil, deve beneficiar 53 milhões de brasileiros, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), sendo 27 milhões de maneira integral. Para isso, a expectativa é de que a renda máxima familiar seja de R$ 250 por mês. Ou seja, as famílias que recebem acima disso não terão direito ao novo benefício.

Tudo continua sendo especulação enquanto o Ministério da Economia e o Ministério da Cidadania não fazem anúncios oficiais, assim como a palavra de Paulo Guedes é aguardada. Ainda assim, é possível prever que o valor médio do Renda Brasil seja de R$ 232, enquanto a o Bolsa Família fica na faixa de R$ 190.

O Renda Brasil deverá ser pago de duas formas: R$ 100 para superação da pobreza e mais R$ 100 por criança entre 0 e 15 anos de idade. Dessa forma, o Renda Brasil poderá ter um custo de R$ 57,1 bilhões, quase o dobro do que prevê o atual orçamento do Bolsa Família.

Deixe um comentário